Palavras do Gestor


100 DIAS OU SEM DIAS DE BOLSONARO

Abril foi outro mês de muita volatilidade. A bolsa terminou o mês com uma valorização de 0,98% acumulando no ano alta de 9.63%. Os holofotes ainda estão voltados para a reforma da previdência e assim permanecerão por mais algum tempo. Entretanto, no final do mês passado foi dado mais um passo para a aprovação, foi aprovada pela CCJ da Câmara dos deputados o parecer que considera constitucional a proposta da reforma enviada pelo governo.

No dia 10/04 Bolsonaro comemorou seus 100 dias de governo, com muito fogo amigo e interferências de familiares e filósofos. Este fogo amigo, deixa este começo de governo a desejar, ao invés de arregaçar as mangas e governar, ficam pensando em ideologia, a economia melhorando, tudo deixará de ser problema. Os últimos relatórios Focus, reduziram o crescimento do PIB de 2019 de 2.50% para 2.00%, 1.70% e no último relatório para 1.49%, a economia está andando de lado e todos os setores já sentem esta economia mais fraca que o esperado.

Paulo Guedes sem dúvida é o posto Ipiranga de Bolsonaro e do governo, ele tem segurado as pontas da economia, tem feito a interlocução com o congresso e tem defeito os mal-entendidos causados por Bolsonaro. Depois do presidente tentar segurar o preço do diesel, o mercado deu a resposta por esta intervenção, a Petrobras caiu quase 8%, significando uma perda de R$ 30 bilhões, só neste papel, fora a queda de outras estatais, ficando bem claro que o mercado não quer intervencionismo e sim política do liberalismo de Guedes.

O câmbio também apresentou bastante volátil, depois de bater R$ 4.00 no intraday, voltou para os níveis de 3.98 para fechar o mês a R$ 3.9453 com alta de 1.25% no mês e 1.82% no ano.

Embora a economia esteja fraca, a inflação medida pelo IGPM terminou abril com uma alta de 0.92% e 8.64% em 12 meses, já o IPCA fechou março com 0.75% e a projeção de abril é em torno de 0.62%, uma vez que ela será divulgada só no dia 10. A projeção de IPCA para 2019, é ligeiramente superior a 5.00% dentro da meta e para 2020 de 4.25%. Muitos economistas preveem um corte na taxa de juros pelo Banco Central, nós não acreditamos haja visto a inflação um pouco acima do que se esperava.

No mês de abril, os estrangeiros retiram da BOVESPA R$ 745,4 milhões, levando o acumulado do ano para um ingresso pouco mais de R$ 500 milhões.

Já nos Estados Unidos a economia está de vento em polpa, na reunião do FOMC em 01.05, a decisão foi manter as taxas inalteradas. Muitos economistas apostavam numa queda, a economia está robusta e a inflação controlada, mas não há espaço para futuras quedas. A divulgação do índice de desemprego mostrou isto, houve um recuo de 3.60% em abril, o menor índice em quase 50 anos. Houve a criação de 263 mil novas vagas.

Estamos confiantes na aprovação da reforma da Previdência, o que traria novamente um otimismo ao mercado e a economia com a volta dos investidores estrangeiros acreditando no Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *