Títulos Públicos

Muitas pessoas têm se mostrado interessadas nas aplicações em Títulos Públicos, A RTIVertex, pode te ajudar.

Os títulos públicos fazem parte do mercado de títulos de renda fixa. Neste mercado, os papéis oferecem uma remuneração em condições e prazos preestabelecidos. No vencimento dos títulos, o investidor recebe o capital principal de volta, acrescido do rendimento da operação. O emissor dos títulos públicos federais é o Governo Brasileiro, por intermédio do Tesouro Nacional, e sua negociação no mercado secundário é feita entre as instituições financeiras.

Os títulos de renda fixa, em geral, se caracterizam por devolver o principal investido, no vencimento da operação, pagando juros. Alguns títulos de renda fixa são negociados por um preço que é dado pelo deságio sobre seu valor de resgate, sendo que, neste caso, os juros estão implícitos e são refletidos no “desconto” da operação.

Os títulos públicos federais têm como objetivo prover recursos necessários à cobertura dos déficits orçamentários do governo. Também são importantes instrumentos para a implementação da política monetária, uma vez que quando o Banco Central vende títulos está retirando dinheiro de circulação e quando recompra os títulos, está colocando dinheiro em circulação.

Podemos dividir os títulos públicos em basicamente 2 categorias:

  • Pré-fixados: O investidor sabe exatamente a rentabilidade que irá receber se esperar até o final da aplicação.
  • Pós-fixados: O investidor receberá uma remuneração de acordo com um indexador (são índices como o IPCA, por exemplo, que serve para medir a inflação).

Os títulos mais famosos são:

  • LFT – Letras Financeiras do Tesouro

    É um título pós-fixado, pois o valor é corrigido pela variação da taxa básica de juros, a Taxa SELIC.

    Pode-se considerar um investimento bem conservador.

      Vantagens:

    • Irá variar de acordo com a Taxa SELIC. Logo, é uma alternativa muito boa se compararmos ao CDB, pois a LFT paga muito próximo de 100% do CDI.
    • É um título interessante para o curto prazo.
    • Desvantagens:

    • Em um cenário de queda de taxa de juros ou de inflação a níveis próximos da Taxa SELIC, o ganho real pode ser próximo a zero.
    • LTN – Letras do Tesouro Nacional
  • LTN – Letras do Tesouro Nacional

    É um título pré-fixado, ou seja, você sabe a rentabilidade prometida da aplicação se esperar até o vencimento.

      Vantagens:

    • Você sabe exatamente quando irá receber na data do vencimento.
    • No geral se paga um valor um pouco maior que a taxa de juros, por você estar correndo o risco da taxa de juros subir e você ganhar menos.
    • Pode gerar ganhos no curto prazo se a taxa de juros cair.
    • Desvantagens:

    • Se a taxa de juros subir e você precisar do dinheiro no curto prazo, você pode perder dinheiro.
  • NTN-F – Notas do Tesouro Nacional série F

    É um título pré-fixado, com juros semestrais.

    É um título semelhante a LTN, com uma pequena diferença: paga juros periodicamente.

    As desvantagens são as mesmas da LTN e as vantagens também, com apenas uma diferença: você recebe os juros semestralmente.

  • NTN-B – Notas do Tesouro Nacional série B

    Tesouro IPCA+ com juros semestrais

    É um título pós-fixado indexado a inflação

    Uma NTN-B que paga 4% ao ano rentabiliza 4% + inflação ao ano. Se a inflação for de 6%, o seu título irá valorizar 4% + 6% = 10%

      Vantagens:

    • Rentabilidade real, ou seja, rentabiliza acima da inflação.
    • Muito interessante para quem deseja acumular patrimônio num prazo longo, tendo uma rentabilidade acima da inflação.
    • Título possui prazos longos o que ajuda quem quer investir para o longo prazo.
    • Bom para quem quer receber renda corrigida pela inflação.
    • Desvantagens:

    • Se os juros subirem e você precisar do dinheiro no curto prazo, pode ter perda de capital.
    • No curto prazo tende a oscilar bastante.
  • NTN-B Principal – Tesouro IPCA+

    Semelhante a NTN-B, mas não paga juros semestralmente. Você só receberá o valor investido no vencimento ou se vender antecipadamente. Possui vantagens e desvantagens semelhantes a da NTN-B. No entanto, não você não irá receber renda periódica.

  • Tesouro Direto

    Tesouro Direto é um programa desenvolvido exclusivamente pelo Tesouro Nacional em parceria com a BM&FBOVESPA, que tem como objetivo financiar os projetos do governo brasileiro.

    O Tesouro Direto é um dos investimentos mais seguros do país, pois é um programa de investimento criado e vinculado aos projetos do Governo Federal, que possui em contra partida uma das melhores remunerações de investimento em renda-fixa.

    Existem várias vantagens na compra do Tesouro Direto:

    • 1. Custo Baixo para Investir – A partir de R$ 30, você já pode investir em Tesouro Direto.
    • 2. Investimento com Baixo Risco – Menor risco de crédito, pois está vinculado ao governo federal.
    • 3. Boa Rentabilidade dos Títulos Públicos do Tesouro – Historicamente apresentou ganhos superiores à poupança.
    • 4. Investimento com Ótima Liquidez – O Tesouro Nacional garante a recompra de títulos toda quarta-feira.
    • 5. Acessível – O Tesouro Direto é indicado para todos os perfis de clientes, sem exceção.